Comportamento, Crônicas, Saúde

RECLAMAR É UM VÍCIO. APRENDA A SE LIVRAR DELE

Visualize que delícia se pudéssemos viver sem reclamações. Um mundo sem stress. Parece um sonho? Você pode ajudar a construir o seu.

Imagine se a cada dia, a cada momento em que vamos abrir a boca, escolhermos, como quem tem um vício, a só dessa vez não contaminar nem a nós, nem aos outros. Não falar mal da chuva, nem do calor, nem do ônibus, nem do carro, nem do atendente, nem da televisão… Impossível?

Eu, particularmente, tenho feito um esforço grande nesse sentido, de parar de reclamar, mesmo em pensamento da seguinte forma:

Com o que vejo e ouço:

  • Tentando não julgar o que não conheço (Pensando exatamente assim: “Não conheço, não sei o que se passa na vida daquela pessoa”).
  • Tentando olhar o lado positivo das situações (“Pelo menos aprendi/aprendeu, pode ter sido um livramento”).
  • E outras vezes simplesmente ignorar o que não é da minha conta, o que não me pertence, o que eu não posso fazer nada para ajudar (fazer uma oração ajuda nessas horas, mais do que ficar falando).

Com o que sai da minha boca:

  • Não fazendo reclamação à toa para puxar papo (Não acompanho conversas que começam com: “Credo que calor, que demora”, etc)
  • Não contando uma história com foco no que foi ruim (Procuro pular essas partes se elas não são essenciais para que a pessoa entenda).
  • Evitando falar da parte do dia em que algo deu errado, mas que não faz diferença no todo (O típico “deu tudo certo, mas…” para quê o mas?)

É um esforço contínuo. Só que a recompensa é enorme. Tenho tido:

  • Paz,
  • mais alegria,
  • mais paciência,
  • e não fico chateada e irritada com a mesma frequência que antes.

Não ficar focado no ruim te faz ter espaço mental para enxergar o bom. É um peso que sai.

Só para esclarecer um ponto aqui: não digo para não falarmos de nossos problemas com alguém que possa ajudar, de fato. O que proponho é pararmos com esta cultura da lamentação. Da reclamação que não leva a nada.

Vamos nos propor um esforço. Se não é necessário, imprescindível, importantíssimo que seja dito, por favor, não reclame. Essa não é uma condição, tenhamos isso como meta e a façamos cada vez que conseguirmos. Tenho descoberto que isso me renova.

Mas como viver assim, sem uma reclamaçãozinha? Sem dividir os problemas? É preciso, sim, falar sobre os sentimentos, mas com alguém que possa e tenha recursos para ajudar. Quanto aos demais, eu vou, só dessa vez, escolher não falar do que é ruim, chato, mau, desagradável ou negativo. Pelo menos, no máximo que eu puder. Pois essas coisas não me fazem bem, não me ajudam e não ajudam a ninguém.

Para mim está sendo uma ótima saída. Desejo de coração que para você também.

 

Texto: Andressa Vilela

Foto: Freepik